Fisker volta aos negócios com o EMotion

A Fisker Automotive faliu e foi comprada pela Wanxiang, que a rebatizou de Karma. Mas isso não tirou Henrik Fisker do jogo. Ele já fez uma parceria com Bob Lutz para criar a VLF e o Force 1 e agora fundou a Fisker Inc., uma empresa que visa proporcionar EMotion para o segmento de carros elétricos. Pelo menos este é o nome do novo carro que o famoso designer concebeu.

fisker_emotion_2

Ainda não sabemos muito sobre o carro, mas o que temos até o momento já é bastante impressionante. A começar por sua autonomia de 640 km com uma carga completa, mas vai até a sua velocidade máxima de 260 km/h. De acordo com Fisker, o carro será construído por “uma instalação existente nos EUA”, provavelmente a VLF, com “uma estrutura de compósitos, fibra de carbono e alumínio com uma inovadora integração de baterias”. Falando nelas, as baterias do EMotion apresentarão uma nova tecnologia, com o uso de grafeno. Será produzida pela Fisker Nanotech, uma joint venture entre a Fisker Inc. e a Nanotech Energy Inc.

Em uma entrevista para a Autocar, Fisker também promete um segundo modelo e diz que ele será produzido por “uma fabricante de carros estabelecida” sobre uma “plataforma modular elétrica”. Fisker se recusou a adiantar mais informações, mas a única empresa que sabemos que está trabalhando em uma plataforma modular elétrica é a Volkswagen, com a MEB. Nós saberemos mais quando o EMotion for apresentado, no meio de 2017.

Gustavo Henrique Ruffo

Sou jornalista automotivo desde 1998 e trabalhei para alguns dos meios, especializados ou não, mais importantes do Brasil, como Folha de S.Paulo, Jornal do Carro, a finada Oficina Mecânica, Gazeta Mercantil, WebMotors, FlatOut, Car and Driver e Quatro Rodas. Também escrevi para meios estrangeiros, como o site World Car Fans, e ganhei alguns prêmios de jornalismo, da SAE e da AEA. Também sou autor do livro "O Colesterol do Trânsito", sobre maus motoristas, que pode ser comprado como ebook no Hotmart, na Amazon e como cópia física no Clube de Autores.