VW Amarok recebe sua reestilização e o novo motor 3.0 V6 TDI

Quando a Volkswagen Amarok foi apresentada, ela tinha uma opção única de motor: o 2.0 TDI EA288. Parecia ser uma aposta no downsizing. Mas as vendas decepcionaram e mais tarde o EA288 ficou no centro do Dieselgate. A montadora alemã poderia ter desistido de seu esforço de ter uma picape ou tentar algo diferente. E ele escolheu o segundo caminho, dando à Amarok uma aparência nova e um novo motor: o 3.0 V6 TDI.

Volkswagen-V6-TDI-04

O novo motor proporciona 550 Nm a 1.500 rpm e uma potência de 165 kW (224 cv) à picape. Mas também oferecerá 120 kW (163 cv) na versão de entrada da picape e 150 kW (206 cv) na versão intermediária. O que a Volkswagen diz, sem dizer nada, é que vai substituir o EA288 com defeito na Amarok pelo 3.0 V6 TDI. Chega de Amarok 2.0 para você.

Volkswagen-Amarok-V6-TDI-2

Além da substituição do motor, a nova Amarok tem uma nova dianteira, com pequenas alterações, e uma nova traseira. Na Europa, ela será vendida na versão topo de linha Aventura, aquela que conta com 165 kW. Ela dispõe de um santantônio novo, pintado na mesma cor da carroceria, que faz sua cabine “avançar” sobre a caçamba. Mas isto é tudo o que foi alterado. A Volkswagen menciona um novo painel de instrumentos, mas não liberou nenhuma foto do novo interior.

Volkswagen-Amarok-V6-TDI-3

O Amarok ainda tem 5,25 m de comprimento, 1,95 m de largura, 1,83 m de altura e uma distância entre eixos de 3,10 m. Pode vir como uma picape de tração traseira ou apresentar o sistema de tração nas quatro rodas 4MOTION. As opções de transmissão são, ainda, a manual de 6 marchas com que ela foi apresentada ou a automática de 8 marchas com que deveria ter sido lançada. A caçamba tem 1,56 m de comprimento, 1,65 m no seu ponto mais largo e 1,22 m no seu ponto mais estreito e 0,53 m de altura, o que lhe dá uma capacidade de carga de 1.330 l ou de 1.047 kg.

Estas mudanças farão a Amarok vender o que merece pelo seu comportamento dinâmico e seu desempenho? Se o 3.0 V6 TDI não se envolver em qualquer novo escândalo e resistir a pó de mineração (diversas Amarok quebraram no Brasil devido a esta questão), não vemos razão para ela vender menos do que seus concorrentes. A não ser, eventualmente, os concessionários Volkswagen.

Gustavo Henrique Ruffo

I have been an automotive journalist since 1998 and have worked for many important Brazilian newspapers and magazines, such as the local edition of Car and Driver and Quatro Rodas, Brazilian's biggest car magazine. I have also worked for foreign websites, such as World Car Fans and won a few journalism prizes, among them three SAE Journalism Awards and the 2017 IAM RoadSmart Safety Award. I am the author of "The Traffic Cholesterol", a book about bad drivers that you can buy at Hotmart, Google Play, Amazon and Kobo.