Aqui estão as primeiras imagens oficiais do novo Hyundai Ioniq

Não tem mais mistério nenhum sobre a aparência do Hyundai Ioniq. Mostramos a você as primeiras fotos do carro totalmente descoberto há algumas semanas, mas agora temos as fotos oficiais, recém-liberadas na Coreia do Sul. Mesmo que sejam só da parte traseira e do interior do novo concorrente Toyota Prius. A traseira pode ser vista acima, com uma tampa que lembra a do Citroën C4 VTR, como mencionamos em nosso artigo anterior. O interior está abaixo e é bastante convencional, mesmo que aparentemente muito bem acabado e funcional. A parte boa é que nós temos muitos detalhes técnicos para compartilhar. Não todos, mas uma boa quantidade de dados.

Hyundai-Ioniq-2

Você não será capaz de chamar o Ioniq de híbrido. Antes disso, você terá de definir a versão do Ioniq a que está se referindo. Ele oferece três opções de motorização: híbrido plug-in, híbrido ou elétrico, confirmando rumores anteriores de que ele faria isso. Este é o primeiro veículo a oferecer uma variedade tão grande de tipos de sistema de propulsão. Seu concorrente mais próximo é o Ford Focus, com a versão Electric, mas o hatchback do segmento C não tem um híbrido ou uma versão plug-in híbrida. Isso provavelmente faria entusiastas do carro virarem para o outro lado, mas a Hyundai promete uma dinâmica fantástica sem descuidar da economia de combustível. E apresentou as razões para acreditar que chegou neste objetivo.

Hyundai-Ioniq-3a

O novo veículo faz um uso extensivo de alumínio para reduzir a massa. Ele é usado no capô, tampa traseira, travessa dianteira e traseira contra choque e nas peças de suspensão, como o braço inferior da roda dianteira, junta da roda dianteira e suporte da ponta de eixo das rodas traseiras. Só isso permitiu que o carro se visse livre de 12,6 kg. Além da utilização de alumínio, o carro também é produzido com aço de ultra alta resistência: 53% de sua estrutura é composta por este material, chamado de AHSS (Advanced High Strengh Steel) pela Hyundai.

A suspensão traseira é independente, do tipo multilink. Sua bateria está localizada perto do eixo traseiro, aparentemente sob os assentos traseiros, o que deve garantir uma distribuição de peso bem boa. Não temos certeza sobre quanto o carro acabou pesando, mas seu conjunto motriz parece ser suficiente para uma condução mais do que satisfatória.

Hyundai-Ioniq-4a

O motor elétrico que será usado na versão híbrida é capaz de gerar 32 kW e um torque de 170 Nm. Ele funciona em associação com um motor que a Hyundai afirma ser o motor térmico mais eficiente do mundo, com uma utilização de 40% de toda a energia do combustível. É o motor 1.6 GDI Kappa já usado em muitos dos veículos da Hyundai, mas com ciclo Atkinson, que o faz entregar apenas 77 kW e 147 Nm. Sempre há perdas na integração das unidades elétrica e térmica, mas elas não devem ser muito altas. Que tal um carro que tem cerca de 120 kW (161 cv) e 317 Nm de torque? Deve ser interessante, independentemente de ser um híbrido ou não. Esperamos que a transmissão automatizada de dupla embreagem e 6 marchas tenha sido soberbamente ajustada e não interfira de maneira negativa na experiência de condução. Como os CVT normalmente fazem com os híbridos que equipam, diga-se de passagem.

De acordo com a Hyundai, o Ioniq será construído sobre uma plataforma totalmente nova. Nenhum detalhe sobre a versão elétrica ou sobre a híbrida plug-in foi divulgado até agora. Teremos que esperar pela revelação oficial no Salão de Genebra, em março, a fim de saber todos os detalhes. Ou para ter alguém que pergunte sobre eles.

ATUALIZAÇÃO: A Hyundai soltou um vídeo e novas imagens do carro, mas não há novas informações sobre o Ioniq. Veja abaixo.

Hyundai-Ioniq-11 Hyundai-Ioniq-12 Hyundai-Ioniq-13 Hyundai-Ioniq-14

Gustavo Henrique Ruffo

Sou jornalista automotivo desde 1998 e trabalhei para alguns dos meios, especializados ou não, mais importantes do Brasil, como Folha de S.Paulo, Jornal do Carro, a finada Oficina Mecânica, Gazeta Mercantil, WebMotors, FlatOut, Car and Driver e Quatro Rodas. Também escrevi para meios estrangeiros, como o site World Car Fans, e ganhei alguns prêmios de jornalismo, da SAE, da AEA e o IAM RoadSmart Safety Award 2017, pelo The Guild of Motoring Writers. Também sou autor do livro "O Colesterol do Trânsito", sobre maus motoristas, que pode ser comprado como ebook no Hotmart, na Amazon e como cópia física no Clube de Autores.