O Alfa Romeo Giulia será oferecido nas versões básica, Super e Quadrifoglio

Com vendas a partir de 15 de abril, e entregas a partir de junho, a Alfa Romeo divulgou todas as informações que estavam faltando da Giulia. E não por meio do informativo de imprensa em Genebra, mas nos sites oficiais da marca. E o mais interessante são as versões em que o carro vai ser vendido. Ainda faltam os preços, é verdade, mas eles certamente aparecerão em questão de semanas.

Alfa-Romeo-Giulia-2

Ele será vendido em cinco acabamentos: Giulia, apenas, a versão básica, Giulia Super, duas versões Giulia Business, voltadas a empresas, e Giulia Quadrifoglio, a primeira vez que foi apresentada. Rumores de que o carro tinha problemas de dirigibilidade e segurança a serem corrigidos foram negados pelo chefe da Alfa Romeo, Fabrizio Curci, em entrevista à Autocar. “Nem um único parafuso veio de outro modelo. Este carro é totalmente novo, e é verdade que nós queríamos lançá-lo com a qualidade certa desde o início, mas isso causou um atraso de talvez algumas semanas, certamente não de meses”, afirmou. E já dissemos que há boas razões para acreditar nele.

Alfa-Romeo-Giulia-6

O Giulia tem 4,64 m de comprimento, 1,87 m de largura, 1,43 m de altura e uma distância entre eixos de 2,82 m. Seu motor básico será um MultiJet II 2.2 turbodiesel capaz de gerar 110 kW (150 cv) a 4.000 rpm e 380 Nm a 1.500 rpm. Ele usará uma transmissão automática ZF de 8 marchas como padrão e uma transmissão manual de 6 velocidades opcional. Sempre como um sedã de tração traseira.

Alfa-Romeo-Giulia-1

Esperamos que o Super use o mesmo MultiJet II 2.2, mas gerando 132 kW (180 cv) a 3.750 rpm e 450 Nm a 1.750 rpm, bem como um 2.0 todo de alumínioa gasolina turbo entregando 147 kW (200 cv) a 5.000 rpm e 330 Nm a 1.750 rpm.

Alfa-Romeo-Giulia-4

O Super virá apenas com a caixa automática de 8 marchas. A versão turbodiesel tem 1.374 kg de peso seco.

Alfa-Romeo-Giulia-3

A versão de topo já foi extensivamente descrita, mas vale a pena falar dela novamente, especialmente de seu V6 2.9 com 2 turbocompressores e 375 kW (510 cv) e 600 Nm. Vem exclusivamente com uma transmissão manual de 6 marchas e atinge uma velocidade máxima de 307 km/h. O Quadrifoglio também acelera de 0 a 100 km/h em 3,9 s. Tem um peso seco de 1.524 kg.

No futuro, o Giulia terá duas outras opções de motor, versões mais fortes do 2.0 turbo a gasolina e do 2.2 turbodiesel MultiJet II, ambos com câmbio manual de 6 marchas, respectivamente entregando 206 kW (280 cv) e 154,5 kW (210 cv). Veja o vídeo abaixo, no qual Harald Wester, CEO da Alfa Romeo, descreve os novos motores.


Uma das características mais impressionantes do novo carro é o Integrated Brake System, ou IBS, que promete reduzir as distâncias de frenagem e minimizar a trepidação do pedal de freio quando o ABS é colocado para trabalhar. De acordo com a Alfa Romeo, o Giulia pode parar totalmente, partindo de 100 km/h, em apenas 38,5 m. O Quadrifoglio para na mesma situação em 32 m. Bom saber que um carro que chega a 307 km/h pode parar de forma tão competente. Mas é ainda melhor saber a que Alfa Romeo está de volta a seus dias de glória.

Gustavo Henrique Ruffo

Sou jornalista automotivo desde 1998 e trabalhei para alguns dos meios, especializados ou não, mais importantes do Brasil, como Folha de S.Paulo, Jornal do Carro, a finada Oficina Mecânica, Gazeta Mercantil, WebMotors, FlatOut, Car and Driver e Quatro Rodas. Também escrevi para meios estrangeiros, como o site World Car Fans, e ganhei alguns prêmios de jornalismo, da SAE, da AEA e o IAM RoadSmart Safety Award 2017, pelo The Guild of Motoring Writers. Também sou autor do livro "O Colesterol do Trânsito", sobre maus motoristas, que pode ser comprado como ebook no Hotmart, na Amazon e como cópia física no Clube de Autores.