Nissan revela dianteira do novo Kicks. E diz que ele será produzido no México primeiro

A Nissan vai apresentar seu novo SUV d0 segmento B, chamado Kicks, no Brasil em maio. Será o carro oficial das Olimpíadas, mas a Nissan parece não estar disposta a esperar, considerando que a imagem acima antecipa a dianteira do novo SUV quase inteiramente. Já tivemos um vislumbre de parte da traseira e sua silhueta também não será nenhum mistério. O fato engraçado é que a fábrica de Resende não será capaz de produzi-lo a tempo. Com isso, Aguascalientes, no México, irá produzir as primeiras unidades do novo SUV exclusivamente para o mercado brasileiro. Quando o carro começar a ser fabricado no Brasil, Aguascalientes passará a entregá-lo para o México e os EUA. Atualmente o Brasil não é um mercado maior do que os EUA e tende a ficar menor do que o do México, mas isso é parte de uma estratégia de marketing: ter tantos Kicks nas ruas brasileiras quantos for possível enquanto elas estão sob os holofotes do mundo devido às Olimpíadas.

A imagem acima está exatamente como a Nissan a divulgou hoje. A imagem principal neste post foi ligeiramente tratada a fim de revelar uma visão melhor das linhas da dianteira do carro.

O novo SUV irá compartilhar a plataforma V com o March e com o Versa atuais, produzidos em Resende, mas não só isso. O novo modelo também será alimentado pelo motor 1.6 de 4 cilindros e 81 kW (110 cv) que move seus irmãos e usará as mesmas transmissões: uma manual de 5 marchas e uma CVT. A Nissan investirá R$ 750 milhões em Resende para produzir o novo Kicks e a produção começará, provavelmente, em 2017.

Ainda que faça sentido, já que a plataforma V já está em produção no Brasil, isso mostra que o carro vai nascer relativamente antigo. A plataforma V logo vai bater a caçoleta para que a CMF-B tome seu lugar. Ela estará sob as novas gerações do Nissan March/Micra e do Juke também. Seria muito bom se o Kicks tivesse sido concebido sobre a nova arquitetura, mas ela não estava disponível no momento em o projeto começou.

Gustavo Henrique Ruffo

Sou jornalista automotivo desde 1998 e trabalhei para alguns dos meios, especializados ou não, mais importantes do Brasil, como Folha de S.Paulo, Jornal do Carro, a finada Oficina Mecânica, Gazeta Mercantil, WebMotors, FlatOut, Car and Driver e Quatro Rodas. Também escrevi para meios estrangeiros, como o site World Car Fans, e ganhei alguns prêmios de jornalismo, da SAE, da AEA e o IAM RoadSmart Safety Award 2017, pelo The Guild of Motoring Writers. Também sou autor do livro "O Colesterol do Trânsito", sobre maus motoristas, que pode ser comprado como ebook no Hotmart, na Amazon e como cópia física no Clube de Autores.