A história por trás do “pior vídeo de estacionamento já feito” é pior do que parece

Quando o vídeo abaixo começou a aparecer nos posts do Facebook, ele fez as pessoas rirem. Como alguém poderia ser tão ruim de estacionamento? Confira o vídeo abaixo, caso você ainda não o tenha visto.

Além de debulhar o pobre Porsche Cayenne, o motorista quase demoliu a entrada da porta do estacionamento. O que sabíamos era que o cara ao volante era um motorista de 16 anos. Em alguns lugares dos EUA, ele poderia ter habilitação, mas em Vancouver, onde a história toda aconteceu, ele precisaria de um motorista habilitado com ele, além de um grande L grudado no carro. Em outras palavras, o que temos é um moleque sem carteira, destruindo o carro do papai (ou da mamãe). Mas é pior do que o que aparenta ser.

O verdadeiro desastre

De acordo com o Vancouver Sun, o vídeo ajudou a polícia a encontrar quem bateu em um carro na West 36th Avenue, entre a Granville Street e a Oak Street, em 16 de junho. Se você prestou atenção ao vídeo, viu que a roda dianteira direita já estava destruída. De acordo com o porta-voz do departamento de polícia de Vancouver, Brian Montague, foi precisamente um Porsche Cayenne branco que bateu em um veículo estacionado, mas não havia pistas de quem ele pode ser. O Porsche fugiu do local, o que fará ele ser acusado não só de dirigir sem habilitação, mas também de bater e fugir e de dirigir sem os devidos cuidados.

A história pode até virar piada algum dia, mas pense bem: e se a batida e fuga tivessem ferido ou matado alguém? A data de publicação do vídeo é 22 de junho. Mamãe e papai não viram o carro detonado nestes 6 dias? Por que eles não foram à polícia a fim de esclarecer as coisas e ensinar seu filho adolescente a prestar contas de seus atos? E se o vizinho não tivesse gravado o vídeo? Será o dono do carro estacionado teria sido reembolsado? A história ainda pode se ter mais reviravoltas, mas, até agora, o verdadeiro desastre é ter pessoas que permitem que um adolescente dirija um Porsche Cayenne sem habilitação. E que aparentemente tentam encobrir o que ele faz. É uma pena…

Gustavo Henrique Ruffo

Sou jornalista automotivo desde 1998 e trabalhei para alguns dos meios, especializados ou não, mais importantes do Brasil, como Folha de S.Paulo, Jornal do Carro, a finada Oficina Mecânica, Gazeta Mercantil, WebMotors, FlatOut, Car and Driver e Quatro Rodas. Também escrevi para meios estrangeiros, como o site World Car Fans, e ganhei alguns prêmios de jornalismo, da SAE, da AEA e o IAM RoadSmart Safety Award 2017, pelo The Guild of Motoring Writers. Também sou autor do livro "O Colesterol do Trânsito", sobre maus motoristas, que pode ser comprado como ebook no Hotmart, na Amazon e como cópia física no Clube de Autores.