VAZOU! – Este é o Alfa Romeo Stelvio. Parte dele, pelo menos!

Já mencionamos a você que o futuro Alfa Romeo SUV será chamado de Stelvio, em homenagem à Passagem de Stelvio, na Itália, uma das melhores estradas do mundo. Mostramos também a traseira do carro, revelado por Ralph Gilles, com seu antecessor dentro dele. O que nós não tínhamos mostrado até agora foi o carro de verdade. E agora podemos fazer isso com a ajuda do estúdio ICS Photography. Eles obtiveram modelos matemáticos do novo SUV. Bem, pelo menos das partes importantes, tais como a lateral.

Alfa-Romeo-Stelvio-parts-ICS-Photography-1

Esta imagem mostra partes da plataforma Giorgio. Ela será a base do Stelvio e já é a arquitetura em que se baseia o Giulia. Curiosamente, esta imagem também mostra que os dois veículos podem compartilhar mais do que os motores e a plataforma: parece que algumas partes das portas também são comuns, mesmo que as portas de Stelvio sejam mais altas do que as do Giulia. Especialmente a parte superior delas. Quando se trata de produção de automóveis, tudo que puder ser partilhado reduz dramaticamente o custo de produção, devido à escala, e acelera o desenvolvimento.

Alfa-Romeo-Stelvio-parts-ICS-Photography-2

A tampa traseira do novo SUV denuncia o formato das lanternas, a posição da placa (um pouco abaixo do emblema redondo) e o quanto a janela traseira será pequena. Tem a ver com a linha de cintura elevada do SUV, bem como com o seu caráter esportivo. O Stelvio será provavelmente revelado no Salão de Paris com o motor mais potente oferecido hoje pelo Giulia, o V6 2.9 V biturbo que oferece 375 kW (510 cv) e 600 Nm. No Giulia, ele vem exclusivamente com uma transmissão manual de 6 marchas e atinge uma velocidade máxima de 307 km/h e um 0 a 100 km/h em 3,9 s. No Stelvio, que pode não receber o emblema Quadrifoglio, a potência total pode ser reduzida para obter um torque mais elevado (ainda mais).

Isso faz sentido. Enquanto o Giulia quer recuperar o prazer de dirigir que os Alfa costumavam oferecer, o Stelvio pretende pagar as contas. Tal como o Cayenne faz com a Porsche. O único carro familiar que poderia colocar estas coisas juntas seria uma Giulia Sportwagon, como a imaginada por Alessandro Masera. Esperamos que ela seja produzida tanto quanto esperamos que não seja tarde demais para o Cuore Sportivo bater forte novamente.

Gustavo Henrique Ruffo

Sou jornalista automotivo desde 1998 e trabalhei para alguns dos meios, especializados ou não, mais importantes do Brasil, como Folha de S.Paulo, Jornal do Carro, a finada Oficina Mecânica, Gazeta Mercantil, WebMotors, FlatOut, Car and Driver e Quatro Rodas. Também escrevi para meios estrangeiros, como o site World Car Fans, e ganhei alguns prêmios de jornalismo, da SAE, da AEA e o IAM RoadSmart Safety Award 2017, pelo The Guild of Motoring Writers. Também sou autor do livro "O Colesterol do Trânsito", sobre maus motoristas, que pode ser comprado como ebook no Hotmart, na Amazon e como cópia física no Clube de Autores.