Quando um exercício de desenho aponta um caminho inteligente adiante: o Tesla Allterrain

A Jeep está muito feliz com o sucesso do Wrangler. Tanto assim que fará uma picape baseada nele. A GM e a Ford estariam criando suas próprias versões de um Wrangler, tais como um novo Ford Bronco. E a Tesla afirmou tem uma picape em preparação. O que todas essas coisas têm em comum? Na mente do designer Jason McGinnity, muito. Seu conceito, chamado Tesla Allterrain, poderia oferecer à fabricante de carros elétricos não só uma picape, mas também um SUV. Tudo apenas com uma coluna C deslizante e um teto retrátil.

Tesla_Allterrain_4

Como a estrutura do veículo seria a mesma usada pelo Model S e pelo Model X, uma espécie de skate com os motores e as baterias, ele teria dois compartimentos de carga diferentes. Um na frente e um na parte traseira. McGinnity até encontrou um novo nome para o compartimento dianteiro: frunk, uma brincadeira com a palavra “front” e a palavra “trunk” (porta-malas, em inglês).

Tesla_Allterrain_5

Um bom parceiro de trilhas

Se a Tesla levar as sugestões de McGinnity em consideração, os trilheiros terão um veículo com baterias de 70 kWh capaz de enfrentar algumas trilhas difíceis no Jamboree. Mas como a empresa parece querer uma picape de primeira grandeza, com uma caçamba das boas, seria necessária uma parte traseira mais longa.

Tesla_Allterrain_7

No caso de precisar de mais energia para trilhas longas, o Tesla Allterrain pode usar baterias adicionais, anexáveis ao carro. Como galões de combústível comuns, mas sem a necessidade de parar para transferir o combustível de lugar.

Tesla_Allterrain_6

O fato é que um SUV robusto da Tesla faria perfeito sentido quando se diz que todas as outras montadoras estão tentando ter seu próprios Wrangler. E também poderia se tornar uma picape. A Tesla deveria considerar as ideias de McGinnity com uma boa dose de atenção.

Tesla_Allterrain_8

Gustavo Henrique Ruffo

Sou jornalista automotivo desde 1998 e trabalhei para alguns dos meios, especializados ou não, mais importantes do Brasil, como Folha de S.Paulo, Jornal do Carro, a finada Oficina Mecânica, Gazeta Mercantil, WebMotors, FlatOut, Car and Driver e Quatro Rodas. Também escrevi para meios estrangeiros, como o site World Car Fans, e ganhei alguns prêmios de jornalismo, da SAE, da AEA e o IAM RoadSmart Safety Award 2017, pelo The Guild of Motoring Writers. Também sou autor do livro "O Colesterol do Trânsito", sobre maus motoristas, que pode ser comprado como ebook no Hotmart, na Amazon e como cópia física no Clube de Autores.