Temos uma coisinha a acrescentar sobre a nova história do Nissan Juke…

A AutoExpress publicou recentemente uma conversa que teve com Shiro Nakamura, chief creative officer da Nissan. Eles falaram sobre a segunda geração do Juke e Nakamura disse que o novo carro seria facilmente reconhecível como tal. A AutoExpress afirmou que ele será construído sobre a nova plataforma CMF B e também detalhou as motorizações que ele pode receber. Mas há também uma questão crucial que não foi tratada nesse artigo: o que exatamente é a plataforma CMF B? Podemos acrescentar algo fundamental a respeito dela.

Na apresentação do Nissan Kicks, tivemos a oportunidade de falar com engenheiros japoneses da Nissan diretamente envolvidos com o desenvolvimento desta arquitetura modular. Tínhamos a informação de que o Versa atual e o March seriam mantidos como estão em mercados emergentes devido às diferenças entre a plataforma V, usada atualmente por estes modelos e pelo Kicks. Apenas os mercados maduros, como Europa, EUA e Japão, teriam o novo Micra/March, que é muito maior do que o hatchback vendido hoje em dia e que poderia competir com Honda Fit e Ford Fiesta. Mas não é exatamente assim.

A nova plataforma CMF B é baseada na plataforma V. Ela é mais leve que a plataforma B usada pelo Juke e aplicará muito UHSS (aço de ultra alta resistência). Isso a tornará uma plataforma mais sofisticada, o que pode explicar o fato de que apenas alguns mercados vão recebê-la. Carros com UHSS são mais leves, mas também mais caros. O Nissan Kicks já usa uma plataforma V atualizada, com novas suspensões e novos eixos dianteiro e traseiro, bem como aço de alta resistência.

O novo Juke aparecerá no próximo ano, depois de a Nissan revelar o primeiro carro CMF B, a próxima geração do Micra/March. Ele usará um motor 1.0 de 3 cilindros turbo a gasolina, um turbodiesel 1.5 e um motor 1.6 de 4 cilindros a gasolina também turbinado, que provavelmente será o topo de linha. Ele também seria muito bem-vindo para o Kicks, mas, como ele é um crossover de entrada, duvidamos que algum dia o terá sob o capô. Uma outra opção para o Juke mais caro será uma versão híbrida, provavelmente equipada com o trem de força do conceito Gripz mostrado acima.

A imagem principal neste artigo vem da revista japonesa Best Car. Ela tem um fantástico histórico de acerto em suas projeções. Portanto, espere por um novo Juke bem parecido com aquele lá em cima.

Gustavo Henrique Ruffo

Sou jornalista automotivo desde 1998 e trabalhei para alguns dos meios, especializados ou não, mais importantes do Brasil, como Folha de S.Paulo, Jornal do Carro, a finada Oficina Mecânica, Gazeta Mercantil, WebMotors, FlatOut, Car and Driver e Quatro Rodas. Também escrevi para meios estrangeiros, como o site World Car Fans, e ganhei alguns prêmios de jornalismo, da SAE, da AEA e o IAM RoadSmart Safety Award 2017, pelo The Guild of Motoring Writers. Também sou autor do livro "O Colesterol do Trânsito", sobre maus motoristas, que pode ser comprado como ebook no Hotmart, na Amazon e como cópia física no Clube de Autores.